19set
2012

Batom na Cueca, tudo “em cima”, há 15 anos arrastando a galera!

Publicado por

A banda Batom na Cueca fundada em 1996, em Brasília, formada pelo quarteto Mamê, Darlan, Adib e Maroca, completou 15 anos de sucesso!! O Blog Esquenta foi atrás de um dos principais integrantes do grupo, conversou com o percussionista Darlan Bertoldo, em entrevista exclusivíssima e, descobriu como o Batom na Cueca fez e continua fazendo a galera “arrastar” por esse país afora.

Batom na Cueca

batom na cueca

batom na cueca formacao

Batom na Cueca – da esquerda para direita: Adib, Mamê, Darlan e Maroca

Particularmente fiquei muito feliz em fazer essa entrevista, pois vivi momentos de pura diversão ao som do Batom na Cueca, seja nas tardes de sábado do Santa Aldeia, nos começos de noite de domingo na Lombok, quando eu e meus amigos voltávamos de Maresias às pressas para conseguir entrar (era lotado), em diversos shows por esse Brasil, na época em que eu não perdia algumas micaretas e até em casamentos… 

Marcelo-Balerone-Batom-na-cueca

Casamento dos meus amigos Paragua e Paulinha. Reparem nas fotos, na esquerda todo mundo arrumadinho, depois que o Batom entrou, o bicho pegou!! curtição!!

Pois bem, vamos ao que interessa!

ESQUENTA: Como foi seu primeiro contato com a música?
DARLAN: Sempre gostei muito de esportes e meu primeiro contato com a música graças a ele, através da capoeira, que como você sabe são utilizadas muitos instrumentos musicais (berimbau, atabaque, pandeiro etc). Na capoeira conciliei isso, engraçado que já me dava bem com os voltados à percussão… inclusive a rapaziada da capoeira fazia roda de samba, daí já viu né… era esporte e música toda hora!

ESQUENTA: E o Batom na Cueca como apareceu na sua vida?
DARLAN: Meu irmão (vocalista Mamê) e o Alexandre (que tocava cavaquinho e hoje não faz parte da banda) resolveram montar um grupo, lá pelo ano de 1996, mais ou menos quando eu tinha 20 anos, como precisavam de percussão e já sabiam que eu estava nessa pegada de tocar na capoeira, fui convidado e aceitei “de cara”.

ESQUENTA: Esse swing todo vem de Brasilia?
DARLAN: Na realidade não, nasci em Valença (BA) e fui para Brasília quando tinha 5 anos de idade, fiquei por lá mais 20 anos quase, ai sim viemos pra São Paulo e depois para todo canto do país e alguns lugares do mundo!

ESQUENTA: E como surgiu o nome Batom na Cueca?
DARLAN: (risos) Rapaz… todo mundo me pergunta isso, claro, mas foi uma brincadeira de buteco, na época que tocávamos por diversão, em troca de meia dúzia de cervejas, lembro que rolou até uma votação lá no barzinho e venceu a maioria… daí surgiu o nome Batom na Cueca!!

ESQUENTA: Porque vocês decidiram vir para São Paulo?
DARLAN: Depois de muita ralação, nós já estávamos estourados em locais famosos de Brasília, como a Strip, Democrata, AABB, Iate etc, eu tinha acabado de entrar na faculdade em 1999, todos jovens, vendo o sucesso chegar, aquela vontade e anseio de dar certo na vida, foi quando em 2000 surgiu a oportunidade de tocarmos em Portugal (projeto que durou 3 meses), depois retornamos para Brasília, ficamos 6 meses e vimos que não dava mais, era pouco perto das nossas pretensões. Tranquei a faculdade, viemos para São Paulo, aquela loucura, muitos shows, eventos, convites dos mais variados etc… mesmo assim depois de 1 ano aqui em SP, consegui retomar os estudos.

danca do malhado - Batom na Cueca

Darlan fazia a dança do malhado, desde os tempos da AABB (em Brasília)

ESQUENTA: Nossa que legal que retomou os estudos, difícil de conciliar não é?! No que você se formou?
DARLAN: Sempre fui muito estudioso e obstinado em me formar. Cursei Educação Física, sou pós graduado em condicionamento fisico e musculação, além de ter feito inúmeros outros cursos de treinamento suspenso, biometria, atualizações em geral etc. Para falar a verdade nunca parei de estudar, sempre levei em paralelo.

ESQUENTA: Entendi, por isso que a galera do Batom “segura” 6 horas em cima do Trio Elétrico e continua Arrastando a galera até hoje?
DARLAN: É, a galera toda pratica alguma atividade física. Quando estamos viajando e temos um tempinho  treinamos juntos,  para aguentar fazer quantas horas de show forem precisas,  sempre com a energia lá em cima.

Batom na cueca

ESQUENTA: Você já trabalhou nessa área (Ed. Física), sem ser com a sua banda?
DARLAN: Então… Tenho um projeto para 2013 de investir parte do meu tempo como personal trainer (in ou outdoor). Estou inclusive fazendo mais um curso em treinamento suspenso (no caso TRX) e vou dedicar pelo menos algumas horas por semana exclusivamente para isso.

Darlan Bertoldo TRX

Darlan – frequentemente se atualiza como personal trainer, na foto no curso de treinamento suspenso (TRX)

Darlan Bertoldo e Mario Yamazaki

Mario Yamazaki (responsável pelo TRX no Brasil) e Darlan Bertoldo

ESQUENTA: E como pretende conciliar a banda com essa atividade de personal? Deve ser legal para um aluno ter um professor famoso, não é?! Normalmente ocorre o contrário!?
DARLAN: Sempre levei em paralelo a minha paixão pela área fitness, nunca parei de estudar e me atualizar. Hoje o Batom é uma banda estruturada, com equipe, agenda, horários, tudo muito certinho, portanto consigo saber com antecedência quando, onde, que horas vamos tocar, daí fica fácil organizar essa parte de personal trainer. Não é como no passado que eu ajudava em tudo, até montar palco se precisasse, hoje eu só chego pra tocar mesmo, quando já está tudo montado. Inclusive já estou em contato com algumas pessoas do meio fitness para me colocar no mercado.

ESQUENTA: Voltando a banda, quais os eventos mais marcantes do Batom para você?
DARLAN: Muitos foram importantes, aqueles com milhares de pessoas, sem dúvida emocionam e marcam mais. Posso citar alguns como a Virada do Milênio em Brasilia (Esplanada dos Ministérios), 450 anos de São Paulo (Av.Paulista) e claro que o maior de todos, em 2005, o Carnaval de Salvador.

450 anos SP Batom na Cueca

Batom na Cueca no evento 450 anos de São Paulo – milhões de pessoas

ESQUENTA: Como é tocar em Salvador?
DARLAN: Brother é demaaaisssss!! Inacreditável, a vibe, a galera, a energia… só estando lá pra saber mesmo. Essa oportunidade nasceu graças a Deus e ao pessoal do Terra Samba, que apostaram na gente, já que estávamos estourando. Ali, costumo dizer que foi nosso carimbo de aprovação, de lembrar até arrepia (rs), até pelo fato de nenhuma banda de fora da Bahia, até então, ter tocado no circuito oficial… foi demais mesmo, foram 6 horas em cima do trio, no final a galera comentava que tínhamos arrebentado, e nós, a partir dali sabíamos que tudo estava provado, que não devíamos mais nada para ninguém, havíamos tocado na meca do axé!

Batom em Salvador

Batom em Salvador – “meca do axé”

Nossa banda sempre foi muito respeitada e considerada por todos, Ivete, Chiclete etc, mas depois dali melhorou mais ainda…. Salvador é massa!!

Darlan Bertoldo – em cima do Trio Elétrico, começando a arrastar a galera – “É massa!”

ESQUENTA: E o assédio ao pessoal da Banda? É loucura mesmo?
DARLAN: Olha, sinceramente, já foi mais, acho que nem por fãs, mas por amigos mesmo e muito mais no começo. Hoje, eu sou solteiro, mas a maioria da banda é casada e todo mundo focado e super profissional. O assédio que temos é aquele saudável, de amigos, de pessoas que gostam e acompanham o Batom, muitos deles sabemos inclusive o nome, pois nos acompanham desde sempre.

ESQUENTA: Quais os projetos ainda para esse ano e para o próximo?
DARLAN: Bom, para o Batom na Cueca estamos divulgando o nosso sétimo CD, queremos voltar a fazer algo semanal, como no passado, vamos lançar um fotobook (que depois te envio um de presente) e o Batom Jam. E tem, ainda, o meu projeto pessoal, que já falamos, que é o de personal trainer.

ESQUENTA: Fale sobre esse CD, eventos semanais e o Batom Jam?
DARLAN: Sobre eventos semanais estamos analisando algumas propostas, ainda não existe nada de concreto, mas é algo que realmente queremos fazer, até porque daqui a pouco já estamos chegando no fim do ano, com isso alguns ensaios, aquele clima de carnaval, certeza pinta algo legal por aí.
Já sobre o CD é um disco comemorativo aos 15 anos de Banda com faixas inéditas e participações de grandes nomes da música nacional, como Tomate, Marcos e Belutti, Bruno Diegues, Alexandre Peixe, Tuca Fernandes e
Marcelo Mira.
O projeto BATOM JAM vem com uma nova proposta onde a banda traz uma formação compacta para atender casas noturnas de pequeno porte. Tocamos músicas de diversos artistas fora do segmento “axé”, além de receber convidados especiais, no qual transformam a festa em uma grande JAM SESSION.

ESQUENTA: Da pra ver que vem muita coisas por ai, muito trabalho a ser feito e você vai ter que continuar cuidando do físico e saúde da Banda! Iria finalizar com a questão anterior, mas surgiu outra pergunta, é verdade que tem show que vocês tocam de tudo?
DARLAN: Com certeza, vamos do sertanejo até Legião e Paralamas. Do pagode que estiver muito em alta até Lady Gaga…rs e por ai vai, tocamos de tudo, a galera vai a loucura!
No mais, só tenho a agradecer ao pessoal do Esquenta e as milhares de pessoas, fãs clubes, parentes e amigos que vem nos acompanhando nesses 15 anos de estrada e fiquem ligados que tem muito Batom por ai! Abraços e beijos!

Confira o Release do CD feito pela imprensa especializada:

Batom na Cueca comemora 15 anos de carreira com álbum especial. A banda presenteia os fãs de todo o Brasil com faixas inéditas e participações de grandes nomes da música.
Emerson Bertoluz (voz), Adib Fraxe (Percussão), Darlan (Percussão) e Maroca (Percussão), formam uma das bandas de axé music de maior respeito e credibilidade no cenário musical e há 15 anos levantam multidões ao redor do Brasil e do mundo.
O Batom na Cueca, que ao longo dos anos se solidificou no mercado com pilares como; qualidade, trajetória e perseverança, preparou um álbum especial para comemorar juntos aos fãs um marco na carreira artística.
Com composições assinadas por Emerson Bertoluz, Adib Fraxe, Darlan, Thiaguinho (Exaltasamba), Rodriguinho, Bruno Diegues (Jeito Moleque) e outros grandes nomes, o álbum Batom 15 anos traz 16 faixas, uma delas gravadas em versões: estúdio e ao vivo (Eu Tô Zen).
No Cd: Tomate, Marcos e Belutti, Bruno Diegues, Alexandre Peixe, Tuca Fernandes e Marcelo Mira , dividem o vocal com Emerson Bertoluz, tornando o álbum um dos mais importantes na carreira da Banda até hoje: “ O processo para convidar os amigos foi de muita cautela e carinho, afinal, pensamos em reunir pessoas que fazem parte da nossa história.
Festejar é o lema”, diz Emerson sobre a escolha das participações especiais.
A Banda, começará a divulgação do show em comemoração aos 15 anos de estrada com cenário, luz, concepção de imagem e figurino especialmente criados para esse novo momento e promete trazer para o palco toda a animação, que é uma das marcas registradas do Batom.”

Sobre o Batom na Cueca:
“Com inicio em 1996, a banda de Brasília (DF) formada por Emerson, Adib, Darlan e Maroca, lançaram o primeiro cd em 1997 intitulado “Vai Começar”. Em 1999, o segundo álbum foi “Batom na Cueca”. Em 2000 eles mudam de Brasília para SP, fazendo parte da nova geração do axé music. 2003 foi o ano de lançamento do terceiro cd “Batom na Cueca – Ao Vivo”. O quarto álbum “Batom na Cueca em Alto Mar” foi gravado durante um cruzeiro em 2004. Já em 2006, com direção musical de Robson Nonato, a banda lança seu quinto cd “Batom na Cueca 2006”, abrindo espaço para que um ano depois (2007), fosse gravado o primeiro DVD da banda “Fazendo Farra – Ao vivo”, com imagens de alguns dos maiores carnavais fora de época do pais.”

Contatos:
http://www.batomnacueca.com.br/
email: darlan@batomnacueca.com.br

Darlan Bertoldo (Batom) e Marcelo Balerone (Esquenta) – valeu Darlan! Show de bola a entrevista, espero que goste! Desejo muito mais sucesso! Abs