22nov
2012

LONDRES em versão original!!!

Publicado por

LONDRES em versão original! – mais uma contribuição dos meus pais da última viagem que eles fizerem para a Europa, aproveitem porque está muito bom!

LONDRES (ING)

londres em versao original

Imagine que você é um dos personagens de um filme e, após uma viagem de avião feita com os olhos vendados, você é largado(a) no centro de uma cidade em que nunca esteve antes! Você tira a venda e saberá, imediatamente, que está em… LONDRES! Porquê?

Como diria o grande detetive londrino Sherlock Holmes: “Elementar, meu caro Watson!”: os carros têm os volantes no lado direito e andam na contramão – apesar de que os ingleses insistem que a mão invertida é no resto do mundo (?), os ônibus têm 2 andares, os táxis são pretos, os famosos Black Cabs, que circulam desde 1897… e tudo tem a cara da Rainha, inclusive e principalmente o dinheiro, as “pounds”. Elizabeth II está em todo lugar. A realeza britânica é onipresente, ainda mais agora com a Kate e sua irmã Pippa que substituíram, com abundância de vantagens, a finada Lady Di.

Londres já foi, é e será tema para pessoas de todas as raças e culturas. A literatura sobre a cidade é vastíssima e detalhada, em prosas, versos, filmes e fotos. Portanto, é muito atrevimento querer descrever Londres em poucas palavras e ainda encontrar novidades para contar. Mas, depois de muitos cliques em nossa Canon e de termos tido o prazer de viver recentemente alguns dias por lá, resolvemos dedicar, especialmente a vocês que curtem o “ESQUENTA”, nossa “versão original” de Londres.

Fundada em 43 D.C pelos romanos, tudo em Londres é grandioso! São 11 milhões de habitantes na Grande Londres – britânicos, indianos, paquistaneses, árabes com suas vestes tradicionais, cabelos de todas as cores, homens de cartola, enfim, todas as tribos – e milhões de turistas: LONDRES É A CIDADE MAIS VISITADA DO MUNDO e a maior cidade da Europa. Heathrow é o 4º. aeroporto do planeta com movimento de quase 70 milhões de passageiros por ano e o metrô, construído a partir de 1863 – Underground – é a mais extensa área ferroviária subterrânea do mundo. Londres é o principal centro financeiro da Europa e o terceiro do mundo.

londres - todas as tribos

Londres – cidade de todas as tribos

A Universidade de Londres é a maior da Europa. O Eurotúnel é o 3º. maior túnel ferroviário do planeta, ligando Londres a Paris através do Canal da Mancha. E, por último, mas não menos importante, Londres tem o estúdio musical mais famoso do mundo: os Estúdios Abbey Road, onde os BEATLES gravaram seus sucessos globais e dividiram a cultura entre a.B e d.B (antes e depois dos Beatles). Aproveito para enviar uma saudação especial a todos nós, beatlemaníacos. Obviamente, a faixa de pedestres mais importante do mundo, a da Abbey Road, está lá, também. Realmente, em Londres tudo é muito grandioso!

Ali foram realizadas 3 Olimpíadas, sendo a última vez em 2012. O estádio de Wembley (http://wembleystadium.com/ ), que fica na parte norte da cidade, em cujo site há destaque para a partida de futebol entre Inglaterra e Brasil, que acontecerá em 06/02/2013, foi re-inaugurado em 2007 e é um dos mais modernos do mundo, com teto retrátil. O futebol é o esporte mais popular entre os londrinos e os times do Chelsea, Arsenal e Tottenham são os mais adorados.

O complexo Wimbledon – aqui disputa-se o mais famoso dos Grand Slam do tênis mundial

Wimbledon (http://www.wimbledon.com/en_GB/index.html ) é um dos 4 campeonatos de tênis mais importantes do mundo, apesar de suas peculiaridades: joga-se na grama, todos os jogadores são obrigados a jogar com uniformes brancos, precisam sair juntos da quadra quando o jogo acaba e, a caminho do vestuário, têm que saudar a Rainha, mesmo quando ela não está presente. E ela nunca está…

Símbolo da cidade e com um sino de 13 toneladas, o relógio mais conhecido do mundo é o “Big Ben”, o palácio é o de Buckingham e, se você está querendo comprar uma McLaren, aproveite porque aqui está uma das poucas lojas da marca no mundo, no n. 100 da Knightsbridge. Por falar em carros, Rolls Royces, Aston Martins, Bentleys e outros menos cotados são comuns nas ruas de Londres. Todo este luxo e padrão de vida atual são prova da tenacidade dos ingleses, que ganharam e sobreviveram à 2ª. Guerra Mundial. A história está documentada no Imperial War Museums (http://www.iwm.org.uk/ ), localizado na Lambeth Road.

Meu pai, com o famoso Big Ben ao fundo

O famoso Parlamento Londrino

Minha mãe e ao fundo o Palácio de Buckingham

Os ingleses continuam tomando o chá das 5, medindo metros em milhas, polegadas etc, quilos em libras, litros em onças…e, há quase 200 anos, trocam a guarda no Palácio de Buckingham pontualmente às 11:30 horas e não param de escrever: Arthur Conan Doyle inventou “Sherlock Holmes” (visite o Museu na Baker Street); Charles Dickens criou “David Copperfield” e “Oliver Twist”; Agatha Christie teve suas obras traduzidas e filmadas no mundo todo; J.K.Rowling trouxe “Harry Potter” e E.L.James agitou, e continua agitando, com “Cinqüenta Tons de Cinza”. William Shakespeare, que viveu grande parte de sua vida em Londres, não precisa de apresentações, assim como o “007”, eternamente a serviço de Sua Majestade. “God Save the Queen”.

Londres - troca de guarda

Palácio de Bunckingham – a espetacular Troca da Guarda, vale a pena!

Para quem estiver com bastante grana, já que tudo em Londres é muito caro (lembre-se de multiplicar os preços das lojas por 3,5 vezes para saber o valor em reais), aconselho a se hospedar no bairro de Mayfair, entre a Oxford e a Piccadily e defronte ao Hyde Park. O J.W. Marriott atenderá aos mais refinados desejos ( http://www.marriott.co.uk/hotels/travel/longh-grosvenor-house-a-jw-marriott-hotel/ ). O local é sofisticado e ali estão a loja conceito da BMW e da Aston Martin.

Mais ou menos essa BMW né?! (rs)

Após largar as malas no hotel, vá direto para a Oxford Street: trânsito intenso, calçadas tomadas, lojas, lanchonetes, padarias, docerias, restaurantes, enfim, tudo. Ali se ouve todas as línguas, se vê todos os estilos e se sente que Londres é, realmente, uma cidade global. Lá se pode assistir shows de rua como o da banda em destaque no vídeo

 

 

Na Oxford, n. 400 está a Selfridges (http://moda.terra.com.br/selfridges-e-eleita-melhor-loja-do-mundo-pela-segunda-vez,13d16d3962757310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html ), classificada como a Melhor Loja de Departamentos do Mundo pela “Global Department Store Summit, Paris 2012” pela 2ª. vez. É imperdível!

Na Piccadilly o cenário é o mesmo e a loja que precisa ser visitada é a Fortnum & Mason, fundada em 1707 (http://www.fortnumandmason.com/ ), referência em delicatessen e “otras cositas más”. Os vinhos, as champagnes, os conhaques, os biscoitos mais raros estão lá, assim como o chá da tarde – o “afternoon tea” – tudo chancelado por Sua Majestade. Bem próxima do final da Piccadilly está a Trafalgar Square, a mais importante praça da cidade e considerada o coração de Londres. O local é uma homenagem ao Almirante Nelson que, em 1805, venceu as armadas dos franceses e espanhóis na famosa batalha de Trafalgar, e comprovou a supremacia da marinha britânica. A partir daí, os ingleses passaram a ter o domínio dos mares por mais de 100 anos e, por causa disso, o Almirante Nelson é o maior herói nacional de todos os tempos. Lá está a Coluna de Nelson, de 52 metros de altura ladeada por 4 leões negros.

Fortnum & Mason – vale a pena a visita

Na Piccadily não faltam excelentes alternativas da deliciosa gastronomia londrina

Trafalgar Square – um dos pontos mais famosos da cidade

A “London Eye” à beira do rio Tamisa, que é o principal da Inglaterra, é uma roda gigante que alcança 135 metros de altura (http://www.londoneye.com/ ) e a Tower Bridge, sobre o Tâmisa, é basculante e suspensa e uma das mais famosas do mundo: não deixe de visitar o site http://www.towerbridge.org.uk/TBE/EN/index.htm : é espetacular e, melhor ainda é visitar a própria Tower Bridge, onde se pode subir na parte de cima da ponte e ter uma ótima vista do Tamisa e de Londres. Na “Tower of London”, onde Ana de Bolena foi executada, estão guardadas as jóias da Coroa. A história de Ana de Bolena foi tema de inúmeros filmes e livros e é interessantíssima – aí vai um pequeno resumo: amante de Henrique VIII, foi o pivô do rompimento do Rei com a igreja católica, já que o Papa não quis validar o casamento dos dois, e o início da igreja anglicana. Em 1533, Ana de Bolena casou-se com Henrique VIII e tornou-se Rainha da Inglaterra mas, como não conseguiu dar um herdeiro ao Rei, acabou sendo executada.

London Eye

Tower Bridge

Tower Bridge

Atravessando a Tower Bridge

Londres – Rio Tâmisa e Tower of Bridge

Já que estamos falando da realeza, vamos até o Palácio de Buckingham, residência atual da Rainha. O ideal é chegar lá às 11:30 horas para assistir à já mencionada troca da guarda e, se você conseguir um lugar junto às grades dos muros, vai se emocionar ao ouvir a banda tocar “From Rússia With Love” e vai se arrepiar, como eu me arrepiei, ao ouvi-los reproduzir “For Your Eyes Only”, música imortalizada na voz privilegiadíssima de Sheena Easton, gravada em 1981 para “007 – Somente para seus olhos”: você não pode não ouvir, qualquer problema assista o video

 

 

A Catedral de São Paulo tem a 2ª. maior cúpula do mundo, sendo suplantada somente pela da Basílica de São Pedro, em Roma. Foi ali que, em 1981, o príncipe Charles se casou com Lady Di. Já William e Kate preferiram se casar na Abadia de Westminster, evento ocorrido em 2011, aguardado e visto por milhões de pessoas em todo o planeta.

O Hyde Park, o mais importante de Londres, tem restaurantes, cafés, passeios de carruagens, pedalinhos e até aluguel de cadeiras reclináveis. Tem clube de tênis, boliche, cavalos para aluguel e rúgbi. Ali já se apresentaram os Rolling Stones, Bon Jovi, Madonna, Paul McCartney, U2, Queen e outros. Há um memorial em homenagem à princesa Diana.

Hyde Park

Hyde Park – visão aérea

Hyde Park

E, perto do Hyde Park, na Brompton Road, está a Harrods, a maior loja de departamentos da Europa, fundada em 1834, templo do consumo e do luxo londrino e uma das lojas mais conhecidas do mundo. (http://www.harrods.com/ ). São 7 andares em um quarteirão, 90.000 m2 divididos em 330 departamentos, 5.000 funcionários, 32 restaurantes, cobertos por ladrilhos eduardianos e muito mais. Ainda falando de grandes lojas de departamentos: Harvey Nichols – 109, Knightsbridge e Marks & Spencer – 458, Oxford St.

Para as crianças, ou se você quer voltar a sentir a sensação de ser criança, vá à Hamleys – 188, Regent St. – dê uma olhada no site http://www.hamleys.com/ : é a maior loja de brinquedos do mundo, visitada anualmente por 5 milhões de pessoas. Peças de vestuário: Burberry, Stella McCartney, Jimmy Choo. Diversão: tem para todos os gostos: do tradicionalíssimo Royal Albert Hall ao Pacha London. (http://www.pachalondon.com/ )

Pacha em Londres – a vida noturna é super agitada na capital britânica

O museu de cera de Madame Tussauds, inaugurado há mais de 200 anos, tem uma lista interminável de celebridades: Beatles, Michael Jackson, Madonna, Pelé, Barack Obama, Napoleão, Kate Middleton, Usain Bolt, a Rainha e outros estão esperando por você. Não esqueça a câmera! (http://www.madametussauds.com/ ). Os pubs londrinos, onde se pode comer e beber a preços razoáveis, são de todo jeito: animados, barulhentos, familiares, exóticos, exclusivos…Experimente o tradicional Fish and Chips. Quanto à cerveja: as lagers são leves e claras; as bitters são amargas e chocas e as stouts são pretas e espumosas…e quente. Cheers!

O Meridiano de Greenwich que, como sabem aqueles que foram nesta aula, divide o globo terrestre em ocidente e oriente, tem seu marco mais tradicional no sul de Londres, no condado de Kent, onde se pode fazer uma foto com um pé em cada lado do planeta.

E, como lembra, no começo você era personagem de um filme: então porque não terminar com o mais famoso de todos: CARLITOS. Nascido em Londres, em 1889, Charles Chaplin criou Carlitos, o ícone da sétima arte: briguento e vagabundo, criava situações patéticas e, já naquele tempo, fazia crítica político-social. Em 1940, o cinema estava engatinhando, não tinha som mas, superando todas estas dificuldades, Chaplin já satirizava Hitler em “O Grande Ditador”. Well… como no final de todos os filmes, vamos para a última tela:

T H E  E N D!