03out
2012

“Mee ame” ou melhor Miami a cidade mais amada dos brasileiros

Publicado por

Miami é a mais latina das cidades norte-americanas, ela sem dúvida, nunca agradou tanto os brasileiros. A bela combinação de praia + compras + sol faz com que Miami seja o destino sob medida para um feriado prolongado, qualquer que seja a época do ano.

“Mee Ame” ou melhor Miami, um guia para aproveitar o que de melhor a cidade oferece

Miami – diversas imagens

Lista de compras
Miami é uma cidade de superlativos. Tudo aqui é grande. Carros grandes, estradas largas, shopping imensos e, felizmente, vagas proporcionais a tudo isso. O maior e mais completo dos shopping é o Sawgrass, outlet que fica a uma hora de Miami. Você pode passar tranquilamente dois ou três dias sem conseguir entrar em todas as lojas. Mas é ai que entra nossa expertise para tornar sua visita mais eficiente. Comece pela área de fora chamada Colonade. Ali, você encontra as lojas mais sofisticadas. Depois de ver as lojas de dentro, essas, ainda que tenham descontos de 70%, vão parecer caras demais, por isso, vale uma olhada na chegada, se você for ligado nas peças de grife. Tem Vilabrequim, Burberry, Tory Burch, Roberto Cavalli, Loro Piana, Polo Kids e havia a promessa de inaugurar a DVF até o final do verão. Se você é dos meus e sente arrepios em ter que disputar mesas na praça de alimentação, a pausa para o almoço pode ser ali fora, onde tem restaurantes a preços bem honestos, como o chinês PF Changs ou o Villagio, marca do grupo italiano que também tem o Carpaccio, do Bal Harbour. Na parte da tarde, parada rápida nas lojas de departamentos Saks, Bloomingdales e Neiman Marcus, onde você pode encontrar jeans de marcas como Seven, True Religion ou Citizen of Humanity por 120 dólares. Resolvida essa questão, começa a guerra, nas lojas realmente com cara de outlet. Nike, Calvin Klein, Armani Exchange, Adidas, Polo, Victoria Secret, Timberland, GAP e assim por diante.

Sawgrass – muita coisa para ser vista e comprada, fica à 1 hora de carro de MIami

Se não há tempo ou a logística parece complicada, outro outlet menor, mas também produtivo é o Dolphin Mall, que tem quase as mesmas lojas de dentro do Sawgrass. A boa e velha GAP, Banana Republic e a Nike estão lá. Só ficam de fora as marcas mais sofisticadas.
Ok, você foge de promoção e está interessado mesmo é na última coleção da Prada. Esqueça os outlets e vá direto ao Bal Harbour. É o Cidade Jardim com mais dinheiro rolando e gente efetivamente comprando. Se a idéia for apenas ver e ser visto, vale marcar um almoço no Carpaccio, onde certamente é o lugar onde mais vai ouvir português fora do Brasil.

Vista interna do luxuoso Bal Harbour

Compras descoladas merecem uma visita ao calçadão da Lincoln. Todas as clássicas estão lá, não mais em versão outlet e isso faz muita diferença. Sim, porque não imagine que vai encontrar a mesma coleção em ambos os tipos de loja, apenas com algum atraso. As lojas fazem coleções diferentes para serem vendidas em outlet e muitas vezes, vale pagar um pouco a mais para ter peças mais descoladas. A Banana Republic é um bom exemplo disso. O outlet nada mais é que uma GAP com roupa de trabalho. Na loja oficial, tem peças bastante sofisticadas que podem montar o look noite. O mais legal de comprar na Lincoln é a possibilidade de andar a céu aberto, fazer uma pausa para um drink em uma mesa dos muitos bares da rua, depois um café na belíssima loja da Nespresso.
Faltou tempo e sobrou apenas um dia para compras: Não arrisque e vá direto ao Aventura Mall, que concentra tudo em um lugar só. Aqui você sabe que tem tudo, Sephora, Bloomingdales, Macys, Gap, Nordstrom etc.
Nova capital da boa mesa
Se Miami voltou a ser destino hype, muito se deve aos restaurantes badalados que passaram a povoar a cena gastronômica da cidade. Chefs celebrados mundo afora trouxeram frescor não só ao circuito art deco de South Beach, mas também ao revitalizado Downtown, de prédios imponentes deliciosamente banhados pela Baía de Biscayne. E lá que está o DB Bistro Moderne, casa mais informal do chef francês Daniel Boulud. A vedete do cardápio é o hamburger com foi gras e trufas negras. Quase em frente está o Zuma, restaurante japonês com belíssima vista para a baía e um bar com variedade de saquês maior que qualquer bom entendor poderia imaginar.

DB Miami – visão geral

DB – mesa VIP

Zuma – detalhe do restaurante e um dos pratos

No Design Distric, zona mais descolada da cidade, as mesas do Michael’s são de longe as mais disputadas pelos artistas e frequentadores do bairro. Do outro lado do canal, em Miami Beach, o 1500⁰ segue a linha farm-to-table, em que utiliza apenas ingredientes frescos de fazendeiros locais. O cardápio é sazonal e quem dirige as caçarolas é a brasileira Paula da Silva, finalista do popular programa de TV Hell’s Kitchen. No novíssimo hotel SLS, estão as mesas mais disputadas da cidade: o restaurante Bazaar combina o badalado chef espanhol Jose Andres, com um farto cardápio de tapas e decoração de Philippe Stark. Precisa mais? Para dias e noites em que o calor da cidade permite, as mesas sob as imensas copas de árvores do Cecconi’s são perfeitas para apreciar os clássicos da cozinha italiana. Reservas com boa antecedência são necessárias, mas caso não haja tempo para isso, o belo bar também vale a visita. Se a ideia for um jantar mais despretencioso, o Sheik Shack não tem erro. O melhor hambúrguer da cidade, em um tamanho sob medida, com fritas impecáveis, em uma travessinha da Lincoln Road.

Michael´s é o mais frequentado pelos artistas em Miami

1500⁰, dirigido pela brasileira Paula da Silva, finalista do popular programa de TV Hell’s Kitchen

Bazaar do badalado chef espanhol Jose Andres, com um farto cardápio de tapas e decoração de Philippe Stark.

Cecconi`s serve clássicos da cozinha italiana, interessante reservas com boa antecedência, mas caso não haja tempo para isso, o belo bar também vale a visita.

Sheik Shack – o melhor hambúrguer da cidade!!

Baladas & afins
Miami não é uma cidade para principiantes. Se quiser se jogar na balada pesada, prepare-se para gastar tudo o que economizou nas compras. Sim, porque garantir uma mesa nas badaladas Set ou Live, dentro do Fontainebleau, podem custar até 500 dólares. Ou você pode arriscar: vista sua melhor camisa, chegue cedo e torça para o segurança da porta te liberar. Mas antes de desanimar, duas sugestões para se dar bem: as pool parties, que acontecem durante as tardes nas piscinas dos hotéis badalados de Miami Beach; os pré-badalas, que, adivinhem, também acontecem a beira da piscina, nos bares dos hotéis. Quase todos eles têm. O Delano, hotel dos mais tradicionais da Collins, tem o bar mais badalado da orla, seguido de perto pelo Shore Club. Garotas bonitas e bronzeadas, em minis realmente minis, dançam a chamada lounge music bebericando seus martinis, observadas pelo público jogado nas espreguiçadeiras do jardim.

LIV Club Miami – a balada mais concorrida da cidade

Delano tem o bar mais badalado da cidade

Shore Club Hotel aqui não falta gente bonita!

Deixando o clima beira-mar de lado, o burburinho rola nos hotéis do centro, como o Edge, no Four Seasons, ou o Area 31, no Epic, onde executivos do mercado financeiro dividem mesas com belas latinas metidas em decotes vertiginosos. O cardápio é extenso, tudo é uma questão de preferências.

Edge uma bela opção para aqueles que querem agito fora de Miami Beach

Area 31

Ainda existem alguns videos na internet que dão uma ideia do que lhes espera em termos de outros passeios, esportes, restaurantes, galerias (uma inclusive em homenagem ao nosso BraZil querido) etc. Todos tem uma propagandinha e merecem um “filtrinho” para fazer a melhor visita do seu jeito e gosto:

Espero que gostem da matéria, curtam, compartilhem e depois que voltarem, nos passem um “feedback” das nossas dicas especiais!!

Enjoy!!!

Mais uma vez agradeço a minha amiga Juliana Nogueira Passos, jornalista que começou a carreira na Folha S. Paulo, trabalhou na Editora Símbolo e por cinco anos cobriu as editorias de tecnologia e carreira das revistas Info, Você S/A e Exame, na Editora Abril. Desde maio vive em Londres, depois de quase cinco anos em Miami, onde trabalhou como freelanccer para a Trip Editorial.

Valeu Juuu!!

Contatos: juliana.nogueira.passos@gmail.com