11jun
2013

Yakuza, a máfia japonesa! #ViolênciaProblemaMundial

Publicado por

Quem já não ouviu falar da Yakuza, a máfia japonesa!? Sabiam que ela ainda existe e, por incrível que pareça, vem crescendo à números alarmantes.

 

images

 

Pois é, pessoal, nós que sempre preferimos trazer temas alegres, que fazem bem para a saúde, dicas de viagens, esportes e gastronômicas, motes que evidenciam a qualidade de vida, “ser feliz”, no entanto, não podemos ficar alheios a violência generalizada que está assolando o planeta. Todo dia os noticiários nos deixam cada vez mais escandalizados, o povo está oprimido e é “refém da sua própria liberdade”. Hoje, independente do local onde mora, trabalha ou frequenta, existe uma grave ameaça, ninguém mais sabe se ao sair pela manhã vai voltar são e salvo para casa.

Um parceiro de trabalho, Marcos Muller, que é publicitário e em paraleo toca o blog Cova dos Gigantes, no qual escreve sobre cultura em geral, me passou essa matéria com o intuito de mostrar, não como “alento” ou “desculpa” que  ”não somos os únicos”, a preocupação que deve ser de todos, já que não só o Brasil que sofre desse mal e sim o mundo todo, inclusive o Japão, um país que se “vende” como perfeito e civilizado. Com isso precisamos fazer alguma coisa, ninguém sozinho consegue, tem a fórmula ou o poder para isso, mas quem sabe, com a conscientização da massa e melhoria da educação em geral, consigamos algo, nem que seja aos poucos.

Entendo que o brasileiro é um povo que ressalta muito os seus próprios defeitos e às vezes, esquece de suas qualidades, é condinzente com muita coisa errada etc, em contrapartida, países como o do povo japonês, procuram expor seus pontos fortes, tem uma excelente alto-estima e fazem de tudo para esconder a sujeira. De vez em quando surge alguém e mostra que não é bem assim.

YAKUZA #ViolênciaProblemaMundial

800px-Marukin_at_Sanja_Matsuri_2

 

Máfia organizada no Japão, não, organizadíssima!  O maior exemplo é a chamada de Yamaguchi-Gumi, uma facção Yakuza, com cerca de 50 mil membros.

Distribuídos, infiltrados e ativos em diversas camadas da sociedade japonesa, os Yakuzas – que não gostam de ser chamados por esse nome (preferem gokudo, algo como “caminho sem volta”), são os grandes responsáveis pelas atividades ilegais, envolvendo o crime organizado no país.

Apesar de ter sido fundada em 1915 por Harakichi Yamaguchi, a facção só ficou famosa aos olhos do mundo quando seu terceiro chefão assumiu: Kazuo Taoka. Ele liderou e modificou a estrutura da própria organização: fez com que quadrilhas próximas fossem afiliadas à Yamaguchi-Gumi, criando assim, uma rede de associadas que pagavam valores de forma crescente ao topo da pirâmide.

 

"Bosses" das maiores Yakuzas conhecidas

“Bosses” das maiores Yakuzas conhecidas

 

Por trás deste “gênio estratégico” não houve uma vida de estudos, como se imaginaria de um japonês: Kazuo Taoka era um órfão e para sobreviver tornou-se um lutador de rua. Caiu nas graças de Harakichi Yamagushi e assumiu a liderança da facção entre 1946 e 1981, quando morreu vítima de ataque cardíaco. Ficou conhecido como o Dom dos Dons, ou, o Padrinho dos Padrinhos. Era um cara que, provavelmente, Dom Corleone teria medo.

Prisões sofridas pelos membros da Yakuza, reparem que as "drogas" são os líderes, assim como no mundo todo

Prisões sofridas pelos membros da Yakuza, reparem que as “drogas” são os líderes, assim como no mundo todo

 

Dos anos 80 para cá, a Yakuza mais famosa, Yamaguchi-Gumi saltou em número de membros: de 5 mil para pouco mais de 50 mil. Movimentam bilhões de dólares anualmente e possuem como principais fontes de renda a prostituição, jogos de azar, extorsão, golpes financeiros, golpes imobiliários, tráfico de pessoas, tráfico de drogas (em especial a metanfetamina, cocaína e heroína), tráfico de armas, distribuição de pornografia pela internet, manipulação em resultados de jogos esportivos e golpes pela internet, entre outros.

 

yakuza_big

 

Curiosamente, os yakuzas – e a Yamaguchi-Gumi está inclusa nisto – são legalizadas no Japão. Possuem registro como “sindicatos” e possuem escritórios. Com isso, conseguem usar uma espécie de “CNPJ” (com todas as aspas do mundo) para abrir empresas de fachadas e lavar dinheiro, incrível, não?!

Pela lei, sempre que a polícia vai investigar alguma família Yakuza e precisa invadir o Quartel General, é necessário que isso seja, formalmente, avisado aos membros da organização com horas, e até dias, de antecedência. O que lhes garante tempo de sobra para eliminar provas e até preparar um chá-verde para receber os policiais…. verdadeira palhaçada!!!

 

Um dos membros da Yakuza exibe mostrando suas tatoos características

Um dos membros da Yakuza exibe mostrando suas tatoos características

yakuza-family-portrait-photo

Uma família toda Yakuza

 

Outra curiosidade é que, ao contrário do que ocorre no Brasil, raramente um Yakuza mata uma pessoa que não seja ligada ao crime. Isso faz parte do seu rígido código de conduta. Tanto que, quando duas facções estão em guerra e membros, de um lado ou do outro, morrem, raramente isso vira notícia na mídia. Outro exemplo do quanto os Gokudos estão distantes da população se dá quando, em algum bairro residencial acontece um tiroteio e, por exemplo, seis pessoas morrem, sendo todos Yakuzas, para a população é como se ninguém tivesse morrido.

 

finger 1970

Dedos cortados… A Yakuza tem o seu próprio código de conduta, assim como as organizações criminosas do nosso país

 

Caso queiram saber com mais detalhes sobre como funciona o mundo do crime no Japão, recomendo o livro “Tóquio Proibida”, do jornalista Jake Adelstein. O livro conta como ele foi morar ainda jovem na Terra do Sol Nascente e se tornou um jornalista investigativo por lá. Além de estar infiltrado no submundo, Adelstein presencia com olhos ocidentais a cultura deste país de hábitos peculiares. No livro, Jake também denunciava como líderes de facções filiadas ao Yamaguchi-Gumi realizavam transplante de órgãos em uma universidade dos EUA.

 

toquio-proibida-livro-jake-adelstein-lancamento

 

Concordo com a última analise do autor, ao afirmar que a solução para problemas como este esteja no endurecimento das leis e no rigor daqueles que podem fazer elas serem executadas e isso vale ou melhor tem que valer para o Brasil. O Japão é um país desenvolvido, com ótimo IDH e taxas ínfimas de analfabetismo. Eles não precisam disso, nem ninguém… inclusive nós.

Esse não é um post de revolta ou algo parecido, mas é uma matéria de alguém que ama o país e crê na liberdade de ir e vir, na democracia, no respeito, na família e que ainda acredita nas pessoas… precisamos fazer algo, antes que seja tarde demais!

Se você gostou, compartilhe, faça a sua parte… se cada um fizer um pouquinho, já pode ser um começo!

Meus sinceros agradecimentos ao Marcão e créditos ao Blog dele.

Beijos, Abraços e até o próximo post.

 

Siga o Esquenta e fique por dentro das melhores novidades do mundo!
Facebook – https://www.facebook.com/BlogEsquenta
Instagram – http://instagram.com/marcelobalerone
Twitter – https://twitter.com/balerone